quinta-feira, março 19, 2009

1

Filmes B

Se você é daqueles que pensa que qualquer produção de filme de terror fundo de quintal é um filme B você está muito enganado.

Existe uma confusão muito comum em relação a expressão "Filme B".

O filme B de verdade foi criado pelos grandes estúdios americanos durante a crise de 1929. Como os cinemas estavam perdendo expectadores, os estúdios (que naquela época também eram proprietários das salas de exibição) lançaram a sessão dupla, onde exibiam um filme A e um filme B pelo preço de um. Nos filmes A estavam as grandes estrelas da época, já nos filmes B não haviam grandes estrelas o que não significava que fosse de baixo orçamento e em geral eram filmes de ficção científica, terror ou faroeste. As sessões duplas foram um enorme sucesso nas décadas de 30 e 40.

video

O Vampiro da Morte, 1940

Em 1948, uma lei obrigava a desvinculação dos estúdios com as salas de cinema, o que acabou com as sessões duplas, fazendo com que os filmes B perdessem a força.

Foi só a partir dos anos 50 que surgiram estúdios que visavam fazer filmes de baixo orçamento e com temas apelativos. Essas produções foram rotuladas como filme B, embora a expressão seja referente a outro período da história do cinema americano.

Alguns filmes B que marcaram os anos 40:

O Primata, de William Nigh (1940)
O Vampiro da Morte, de Jean Yarbrough (1940)
O Fantasma Invisível, de Joseph H. Lewis (1941)
A Volta do Homem-Macaco, de Phil Rosen (1944)
Barba Azul, de Edgar G. Ulmer (1944)

Um comentário:

Anônimo disse...

E eu que pensava que filme B era a Bruxa de Blair! Valeu...

Postar um comentário